Refrigereco

Há uns dois anos, passava uma propaganda na televisão do guaraná Dolly. Primeiro, um menino e seu pai no supermercado.

“Pai, compra Dolly. Dolly é bom.”

O pai então negava, com razão, o pedido do filho. Mais tarde, no jantar…

“Filho, come (nome de um vegetal), é bom”

“Não, pai. Eu disse que Dolly era bom, mas você não quis comprar.”

Certo dia, estavam eu e minha mãe no Sam’s Club. Para os não osasquenses, o Sam’s é um supermercado que vende no atacado. Bom, estava eu lá, saltitante, quando passei na frente dos refrigerantes da Dolly.

“Mãe”, eu falei debochando, “compra Dolly. Dolly é bom.”

Na minha frente, um senhor com uns seis fardos do horrendo guaraná.

Vergonha.

Anúncios