Nascido em 4 de julho

Quando ele nasceu, trouxe de presente para mim um Cachorro Snif Snif. Era uma cãozinho de pelúcia da Estrela que vinha com certificado de origem, como um pedigree, e tinha um rostinho de pidão. Pelo menos é o que a minha mãe me contou na época. Afinal, porque aquela bolinha com cara de joelho tinha de aparecer dois dias antes do meu aniversário de dois anos? Tempos depois fui perceber que aquela bolinha seria fundamental na minha vida. Já ousava até a chamá-lo pelo nome: no começo Caco – por causa dos Muppets Babies – e, depois, Caio.

Um amigo do Caio, também chamado Caio, certa vez me falou “Não sei se é sorte ou azar aniversariar em uma data tão próxima”. Na hora, não soube o que responder. Mas agora, pensando bem, acho que é sorte. Tê-lo como irmão – não importando a data, o humor, a idade, o lugar – é sempre uma dádiva.

Como o bebê, que só queria colinho

Com o Snifinho, um outro presente. “Só enquanto eu respirar, vou me lembrar de você”

Anúncios