Retrato de um fim de tarde quente

No caminho pra casa, um cachorro descansava na calçada, próximo à soleira de uma porta. Sob o sol quente, dormia. Quando me viu, abanou o rabo. Ele estava sujo, com fome, doente e triste. Lancei um olhar de ai que dó e continuei.

Mais à frente, um outro cachorro um pouco mais velho. Com a pata estropiada, veio feliz me cumprimentar. Ao seu lado, um pote de margarina com restos de ontem. Ignorei seu olhar carente e sedento por carinho.

Cem metros depois, um homem descansava na calçada. Entorpecido pelo álcool e pelo sofrimento, não esboçou alegria quando me viu. Estava com fome, doente e triste. Sua perna gangrenada estava enrolada em uma atadura já gasta pela chuva, pelo pó e pelo concreto. Tudo nele era sujo. Mais uma vez, segui meu caminho confortável.

Ao menos os cães sabem que são apenas cães.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s