Pós-banca

A banca é às onze e meia, né? Ah, ainda falta meia hora, chego a tempo! Não vai se atrasar, hein, senão atrapalha. Aaaaaaaeee! Calma, calma, a banca ainda nem aconteceu! Comprei um chocolate pra você. Hmm, é alpino, que delícia. Moço, eu preciso passar esse dvd, mas tá sem editar… você pára no tempo pra mim? Cadê ele, droga… Lia liga a TV e a luz reflete em seu rosto. Você coloca o espiral pra mim, por favor? Ai, que sapato chato. O senhor é professor aqui da Cásper? Não, sou o pai da Marília. Rá Tim Bum! A monografia de vocês está saborosa. Stuart Hall não, Stuart Hall não. Senta que lá vem a história. Tem uma música, a Sexy Sylvia, que não é para crianças. Divertido e lúdico, divertido e lúdico, divertido e lúdico. Masmorras feudais, duas vezes. É uma bela metáfora, mas para quê? Expectador, oras, é aquele que espera muito uma coisa. Stuart Hall não! Ufa. Oi, oi, oi! Sim, estamos um bocado nervosas. Um minuto. Dois minutos. Três minutos. Quatro minutos. Cinco minutos. Bom, nós precisamos discutir muito e chegamos a uma nota 10. Oi, Lígia! Como assim? A gente não tirou dez. Tirou? Como assim?