À espera

Dois ou três carros já pararam na frente de casa. O motor barulhento, a porta batendo, o clic! do alarme sendo ligado. Duas ou três vezes eu fui até o portão. Você sabe, o interfone de casa não funciona. Duas ou três vezes eu imaginei ouvir você gritando “Marííília”. Mais duas ou três vezes eu deixei de sentir o calor do seu abraço e o cheirinho do seu perfume que é tão seu em mim.

Porque, duas ou três vezes, não era você.