Sobre ter asas

Daí a vó me olhou com o mesmo olhar de cinco anos atrás. Era terno e amoroso. Durou pouco tempo. Um segundo depois, a expressão já era vaga e distante. Perdidos em algum lugar, os olhos miravam um céu azul, talvez o mesmo lugar pra onde voou a minha alegria.

Ela pode voar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s