Eu diria tchau

Contava pra Natália que o problema é que eu perdoo muito fácil. Não sei ficar de mal com as pessoas, procuro olhar pra daqui cinco, dez anos. Superestimar o presente é um dos maiores enganos que podemos cometer. Levo o medo, o impulso e o desespero em consideração – quase sempre os erros estão acompanhados por eles. Busquei o restinho de fé que tinha em mim e passei por cima de tudo.

A gente deveria perdoar mais. Sinto-me bem. Não guardo mais mágoas, não carrego o peso de não ter tentado, de não ter dito o que deveria. As palavras acabaram. Não importa o que aconteça, quero continuar perdoando fácil. Daqui não se leva nada.

Que pôr-do-sol lindo o de hoje. Lindo, lindo. Viveria de primavera, olhar o mundo com amor.