Conflito

Quem dera conseguisse ter a objetividade de dizer assim “hoje o dia foi quente”.

Ao contrário.

Digo que o dia foi quente mas que aqui dentro fez inverno glacial porque ainda não cruzei com seu olhar, que todas as estações do ano pareciam a cidade de São Paulo num dia, que a confusão era tão grande que pra dizer que caiu água do céu não bastaria dizer que geou que chuviscou que garuou que caiu um pé d’água daqueles. Era preciso inventar palavras novas, termos que inaugurassem uma nova categoria de emoções, de quereres, de vontades.

* * *

“Só o que sinto explica o que faço” (Helena Kolody)

* * *

Quem dera conseguisse ser objetiva ao ponto de dizer que apenas quero como nunca quis.

Ao contrário.

Digo que ao cruzar com seu olhar é preciso inventar um novo sol que dê conta de tanta luz, que explique cada estrelinha que surge no céu mesmo durante o dia, que então a garoa é fina mas não tem esse nome, é agora um tipo de chuva feliz, que pode fazer um inverno glacial que eu não sinto frio, mesmo com geada ou chuvisco ou garoa ou pé d’água daqueles.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Conflito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s