Eu te odeio

No ônibus, presenciei uma briga de namorados. A garota gritava com alma. Ele, encabulado. Lembrei de imediato de um trecho da Clarice Lispector, e me reconheci no casal e no texto.

“Eu te odeio”, disse ela para um homem cujo crime único era o de não amá-la. “Eu te odeio”, disse muito apressada. Eu te amo, disse ela então com ódio para o homem cujo grande crime impunível era o de não querê-la. Eu te odeio, disse implorando amor.

O Búfalo

Anúncios