Mentira

Já terminaram comigo com a justificativa de que “ninguém é insubstituível”. Mentira.

As pessoas só são substituíveis quando a gente se reinventa ou finge que mudou de gosto ou faz de conta que determinado perfume não agrada mais.

No fundo, dizer que “ninguém é insubstituível” é a maior mentira já contada.

Substituir alguém não é fácil: é preciso mudar de lado no ônibus, evitar uma esquina, mudar a marca do desodorante, preferir goiabada à geleia de frutas vermelhas, deixar de beber certa cerveja.

Pra substituir alguém, uma pessoa novinha em folha tem que ocupar o lugar dela. É um trabalho interno, de se querer mais do que querer o outro.

Com o tempo, cada um vai se tornando substituível: mas só porque a gente inventa que a pessoa não tinha as qualidades que de fato tem.

Aí, uma hora, do nada, esquecendo que você um dia gostou do jeitinho que a pessoa inclinava a pessoa na hora de contar sempre a mesma piada, o celular vibra e você murcha porque o SMS é do substituído.