Privilégio dos míopes

Sendo tímida na infância, decidi que era privilégio poder falar com quem e quando quisesse – egocêntrica. Hoje, não mais tímida, meu privilégio é a miopia: vejo menos, mas sinto mais. Mais.

Anúncios

E se

Por exemplo: as margaridas do jardim. Vira noite, chega dia, eles confiam que o sol vai estar firme no céu, esquentando a terra onde elas fincam as raízes. O mesmo com o sol: ele bem sabe que quando ele precisar ir, a lua vai chegar pra ocupar seu lugar. A criança que dorme no banco de trás espera que o pai, ao volante, dirija bonitamente o caminho todo, sem entregar o carro a Deus dará. Noel Rosa não cantou “Três Apitos” pra família vender a canção como jingle publicitário. E você sabe porque, mas você não sabe que enquanto você faz pano, faço junto ao piano estes versos pra você. Iracema não imaginou que o português Martim fosse abandoná-la, ela só e a dor. Também não passava pela cabeça de Dorothy, enquanto serelepeava pela estrada dourada, que o Leão pudesse abocanhá-la. E Mary Poppins, então, não cogitava a possibilidade do guarda-chuva esquecer de voar.

Quase passarinho

Só consigo pensar que tem libélula que pensa que é passarinho. Rasantes, verdes e marrons coloridos no ar. Piruetinhas. São feias, mas olhando com atenção têm algo assim de ser passarinho sendo libélula que chama a atenção. São só libélulas, mas também voam e vão céu acima, céu abaixo. O céu não é palpável, não pra nós. Mesmo assim, pras libélulas, é onde elas moram. O céu não é nada, mas é lá que elas ficam. Quase passarinho.

Nem é com m

“Marilinha, Marilinha”, dizia minha avó quando eu tinha dez anos.

Agora, que tenho 24, ela me confunde quase sempre com a irmã dela, cujo nome nem começa com m nem nada.

Vez ou outra, porém, chama, em algum lapso de lucidez – e não de Alzheimer, como melhor deveria ser -, “Marilinha, Marilinha”.

Tênis de academia

Minhas amigas não cansam de dizer que eu preciso gostar de alguém. Eu tento, juro que tento demais, demais — mas não gosto.  Algumas vezes o problema é o tênis de academia que insiste em parecer dois números maior que o pé, noutras é o perfume que não combina com a cara e nem com o cheirinho da pessoa mesmo. Daí quando vejo o tênis de academia que na minha opinião não deveria sair da academia lembro de você com todos aqueles tênis que são tão você e podem ir pro shopping, balada, teatro, cinema, boteco. O mesmo com o perfume: cada cheiro diferente e não combinado com a pessoa só me faz querer seu cheiro de novo aqui, porque o resultado final do perfume vai muito também do quanto a pessoa contribui pro cheirinho ser especial, como todo mundo sabe desde sempre.