Olá

Agradeço aos visitantes que chegam aqui pelo meu perfil no orkut. A cada dia, o número só cresce.

Digam oi, né, gracinhas!

Anúncios

Momento rasgação de seda

Já há algum tempo conversávamos eu e a Lígia sobre esses memes que circulam pela blogosfera. Conversa vai, conversa vem, chegamos à conclusão de que, caso existisse um selo de blogueira maaaais fofa, com certeza iria para a Nati, do Um pouco de Bossa. Tal não foi a minha surpresa ontem quando euzinha recebi o selo “A dona desse blog é um fofa!” da moça. Uma fofa mesmo!

image_thumb[1]

Minha missão então é repassar o agrado, não sem antes responder ao questionário que faz parte de toda a brincadeira:

1 Mania: Andar descalça. Sempre perco o chinelo por aí.

2 Pecado capital: Preguiça.

3 Melhor cheiro do mundo: Baunilha, aiai.

4 Se dinheiro não fosse problema eu faria: Muitas viagens.

5 Casos de infância: Aos cinco anos virei um copo de caipirinha enquanto minha mãe conversava com a vizinha na porta de casa. Não bastasse meu porre, provoquei hic hic também no meu irmão, oferecendo o “suco gostoso de limão”.

6 O que não gosta de fazer em casa: Só faço o que tolero.

7 Desabilidades como dona de casa: Cozinhar. Não que seja um desastre,mas nada que se compare à comida da mamãe.

8 Habilidades como dona de casa: A casa comigo fica, no mínimo, organizada e cheirosinha.

9 Uma frase: “A minha única salvação é a alegria”, de C. Lispector.

10 Passeio para a alma: Qualquer um com um amigo querido. Livrarias são uma boa pedida.

11 Passeio para o corpo: Passear com a cachorra sem pressa.

12 O que me irrita: Quem ouve música alta sem fone de ouvido no busão.

13 Frase ou palavra que fala muito: Falo muito “mas”. Preciso parar. Uma porque é repetitivo e outra porque procurar empecilho nas coisas cansa.

14 Palavrão mais usado: Cacete!

15 Desce do salto e sobe o morro quando: Sou criticada. É feio, eu sei. Odeio mesmo assim, embora possa não demonstrar.

16 Perfume que usa no momento: Inizzio, da L’acqua di Fiori.

17 Elogio favorito: Fofa!

18 Talento oculto: Tão oculto que ainda não descobri. Queria mesmo é saber desenhar, cantar, compôr…

19 Não-importa-que-seja-moda-não-usaria-nem-no-meu-enterro: Crocs.

20 Eu sou extremamente: Indecisa.

Ah, as minhas fofas são a Déa e a Iza.

Adeus

Como diz uma amiga, canceriana que sou, choro até quando vejo arco-íris. Odeio despedidas e essa, confesso, não é das mais fáceis. Por muito tempo, e ainda hoje, o Onomatopéia era destino mais do que certo quando a vontade de dizer algo sufocava a voz. Aí o desabafo era escrever. Escrever a letra da canção que embalou o dia, o garotinho do olhar marcante visto no ônibus, a sensação deliciosa de estar apaixonada, o trecho do livro que ficou na cabeça tão nítido, a felicidade de estar entre amigos. Assim é o papel (ou a tela do computador): ao mesmo tempo em que aceita tudo, nada cobra pela palavra escrita. Não exige explicações, nunca vai  jogar na cara as coisas ditas ou caladas. Além de tudo isso, um blog sempre faz bem para o ego. São tantas as pessoas que dizem “oh, como você escreve bem!” que, mais cedo ou mais tarde, acaba-se acreditando. Hora do ego sossegar.

A todos e a todas que me leram ao longo desses quase quatro anos, obrigada.

Um dia eu volto, quem sabe. Por enquanto não.