Aperta

A saudade aperta aí você pensa na hidratação do cabelo, na prova de Processo Civil, na coluna da semana. Pensa na unha com o esmalte lascado e por fazer, na metade de cidade que você precisa vencer pra chegar no evento, na festa de sexta. Pensa na fonte que ainda não respondeu o e-mail, no presente de aniversário do afilhado, na amiga que terminou com o namorado. A saudade aperta e você pensa no trabalho de Civil, no resumo de Constitucional, no vergonhoso dois em Empresarial, nas duas reportagens que precisa fechar. Aperta mais e você pensa no cara de sábado que não ligou, no outro que não respondeu o SMS, nos dois quilos a mais na balança, na aula assistida pela metade mais uma vez. Se sufoca, pensa de novo nas luzes e pontas ressecadas, remói o dois de Empresarial, emenda bar após bar. A saudade aperta? Pensa no sábado de sol recheado com um plantão, lembra dos olhos de outro, esquece as músicas bonitas. Aperta e você corta o cabelo, emagrece quatro quilos, tira nove em Empresarial, escreve três colunas na semana. A saudade aperta.

Anúncios

Gatunice

A cada nova mensagem, eu precisava pensar direitinho qual seria a próxima a ser deletada. Com capacidade para 200 sms’s, meu celular comportava uma série de pequenos carinhos escolhidos a dedo. De alguns lembro de cor:

Marilinha (L)

Parabéns! Já acreditava no seu potencial! Beijo. Mãe

Bar? Tijolos Verdes?

Fofa, fofa! Te adoro!

Se não for pra aula, me dá um toque que a gente faz alguma coisa. Muita chuva!

Tinha foto também:

Do pé-direito e a mini-rosa amarela sobre a mesa.

De duas tulipas de Heineken numa padaria.

Da pichação no muro, entre a Consolação e a Paulista, com o famosinho haikai do Leminski: “Haja hoje para tanto ontem”

Um ladrão veio e roubou tudo.

Tolerar

to.le.rar
(lat tolerare) vtd 1 Levar com paciência, suportar com indulgência: Toleravapacientemente o mau gênio da esposa.vtd 2 Condescender com; dissimular certas coisas, sem no entanto as consentir expressamente, uma vez que não sejam lícitas: Tolerava aquelas ações repulsivas. vtd 3 Permitir o livre exercício de (crenças ou cultos religiosos). vtd 4 Admitir, dar tácito consentimento a: “…Floro Bartolomeu… menos afeito a tolerar certos excessos de fanatismo dos romeiros” (Lourenço Filho). vtd 5 Med Assimilar, digerir, suportar: O doente não tolerou o medicamento. vpr6 Suportar-se: Davam-se bem outrora; hoje não se toleram.

Tolerar é tender ao limite. Palavra feia.

Pedrinho, 4 anos

“Me lembe! Me lembe”, dizia gargalhando gostosamente. “Me lembe, Aurera!”. Aurera era Orelha, que na verdade era só Jimi, meu pastor alemão mais carinhoso. Ele e o Pedro pareciam ter se entendido, mas Pedrinho insistia em dizer que preferia a “cachorra que dormia embaixo do carro”, porque ela não “lembia”.

Foi até a sala de estar, pegou um aparelho de telefone fora de uso e disse que ligou para o pai: “Oi, papai! O Aurera fica me lembendo”, dedurava em meio a gargalhadas deliciosas e felizes. “Fui na casa da tia Zanza também. Lá tinha um tartarugo gigrante”.

Domingo de passeio com o avô.